Conheça nossa história

Próximo ao ano de 1700, a bandeira de Domingos Rodrigues da Fonseca Leme, bandeirante do grupo de Borba Gato, alcançou a região que ficou conhecida como Campos de Congonhas.

Não tardou e estes bandeirantes descobriram ouro nos leitos dos rios (ouro de aluvião) que banhavam o local. Isso, aliado a uma abundante quantidade de água existente no local, propiciou e estimulou a permanência dos aventureiros na região.

O conde de Assumar, em carta datada de 17 de junho de 1720, nomeou Domingos  Rodrigues para o posto de Coronel da Nobreza da Capitania de São Paulo, destacando vários fatos, entre eles: “no ano de setecentes” ter dado “repartição do guarda-mor  Manoel de Borba Gato dous ribeiros   que descobriu que além de rendimento dos quintos, em um deles se arrematou a data de S. Majestade em dez libras, e uma quarta de ouro”. Esses “dous ribeiros” a que o texto se refere eram o Ribeirão dos Cristais e o Ribeirão do Cardoso.

No final do século XVIII, foi encontrado ouro na cabeceira do morro da parte norte, área conhecida como Morro Velho, propriedade da Família Freitas. Esta foi a primeira lavra subterrânea de Nova Lima.

Os escravos da família Freitas trabalhavam de forma não sistemática. Abrindo túneis em vários pontos do morro, o que demonstrava despreparo técnico. Porém, as jazidas forneciam ouro de 19 quilates e a produção anual atingiu cerca de 16 quilos.

Em 1830, a mina foi vendida pelo Padre Antônio de Freitas, responsável pela mineradora para o inglês George Francis Lyon, que faleceu pouco tempo depois, e, seus herdeiros revenderam a mina para outra companhia inglesa, a Saint John Del Rey Mining Company. A companhia inglesa passou a explorar a mina com técnicas mais apuradas, o que teve como resultado o aumento da produção aurífera. Os ingleses se fixaram em “Morro Velho” e construíram aí casas para moradias própria e para os empregados livres. Além disso, abriram canais de água em alguns pontos da cidade para a lavagem do minério na boca da mina, e edificaram hidrelétricas para o fornecimento de energia elétrica que a empresa demandava.

Em 1836 criou-se oficialmente o distrito, que passou a se chamar Congonhas de Sabará e que ficava subordinado ao município de Sabará. O Decreto n.º 361, de 5 de fevereiro de 1891, elevou o distrito de Congonhas de Sabará à Vila Nova de Lima. O adjetivo “Nova” fazia referência à presença dos ingleses na região, situação que provocara mudanças substanciais na paisagem urbana, na economia e no comportamento social do núcleo urbano, dando à vila um caráter de coisa nova. Da mesma forma “Lima” foi uma homenagem prestada ao filho ilustre da terra, Augusto de Lima, historiador e político.

Em 1890, foi inaugurado um canal ferroviário em Nova Lima, passando por Honório Bicalho. Até então, era difícil levar o produto da mineração até a estação ferroviária, uma vez que Nova Lima está localizada em um vale bastante montanhoso. Em 1913, a empresa de mineração inaugurou um ramal secundário de uma ferrovia que ligava Vila Nova de Lima a Raposos pela Estrada de Ferro Leopoldina Railway acompanhando o leito rio. A inauguração do canal criava ligação direta entre Morro Velho e o Rio de Janeiro.

Nas duas primeiras décadas do século XX, Vila Nova de Lima recebeu um grande contingente de imigrantes espanhóis, italianos, sírios, libaneses, entre outros. Os sírios e libaneses se estabeleceram no centro da vila em edifícios tipo sobrado, de uso misto. Tais edifícios eram usados como residência na parte superior e como comércio na parte inferior. Estes estabelecimentos comerciais se tornaram os concorrentes diretos do empório Casa Aristides, propriedade do Sr. Alexander & Sons, que vendia todo tipo de pertences aos empregados da Morro Velho utilizando o sistema de Caderneta. A dívida era paga impreterivelmente no dia do pagamento.

A vila não oferecia muitas opções de lazer, de forma que os empregados da mineração tinham muito tempo ocioso, o que acarretou em um elevado índice de alcoolismo entre eles. Depois que saíam do trabalho a única diversão era beber. A fim de fazer frente a esta situação, funcionários ingleses (que já conheciam o futebol) junto com brasileiros decidiram montar uma equipe de futebol amador. Em convênio com a mineradora, reuniram os melhores jogadores locais, e no dia 28 de junho de 1908 inauguraram o Villa Nova Atlético Clube, conhecido popularmente com o pseudônimo de “Leão do Bonfim” (símbolo da realeza inglesa), que se converteu em equipe profissional em 1932.

O Villa resiste até hoje, como participante da 1.ª Divisão do Campeonato Mineiro e da Série D do Campeonato Brasileiro. Seus títulos são muitos: Tricampeão Mineiro em 1933 / 1934 / 1935; foi Vice-campeão em 1937 / 1945 / 1946 / 1947 / 1953 e 1997; foi Campeão Mineiro em 1951; e ainda ganhou outros títulos com a equipe profissional e com as categorias de base.

Em 1923, Vila Nova de Lima foi reconhecida como um município desvinculado de Sabará e suprimiu a palavra “vila” do seu nome, passando a denominar-se por cidade de Nova Lima, situada no município homônimo.

Nas décadas de 1930 e 1940, a empresa mineradora passou a construir habitações para seus empregados, uma vez que os mesmos começavam a migrar para o campo por falta de recursos de moradia. Essa iniciativa foi acalentada pelo decreto do então presidente Getúlio Vargas que restringia o valor da remessa de lucros enviadas para o exterior.

A Hanna Company, empresa de capital americano e brasileiro adquiriu a Saint John Del Rey Mining Company em 1960. Em consequência disso, a grande maioria dos ingleses retornou a sua terra de origem, deixando um grande legado histórico e cultural no município.

A partir dessa mesma década, Nova Lima experimentou um expressivo desenvolvimento. Houve neste período uma clara expansão urbana, identificada principalmente nas regiões sul, sudoeste e oeste do distrito-sede. Isso aconteceu, porque a nova política interna, da antiga mineradora Saint John admitia que a mineradora se desfizesse de parte de suas terras para que loteamentos urbanos pudessem ser executados, criando assim um novo ganho para a empresa. Consequentemente, o comércio foi potencializado e algumas indústrias se instalaram na cidade como resposta a este crescimento urbano.

Atualmente, a empresa mineradora pertence ao capital sul-africano, e denomina-se AngloGold Ashanti. Mas a mesma pluralidade nas atividades econômicas pode ser verificada. Além da mineração, o campo imobiliário continua a ser um forte atrativo para investimentos da empresa. No entanto, os loteamentos possuem uma outra lógica e públicos alvo.

Por ser um município da região metropolitana, estando a poucos quilômetros de Belo Horizonte, Nova Lima foi se configurando como eixo de expansão  natural da capital, passando a abrigar uma classe social de alto poder aquisitivo atraídos pelas terras repletas de verde,  vales e paisagens sublimes, além de oferecer uma melhor qualidade de vida próxima à capital e a outra centralidade urbana que se formava na mesma, no caso o BH Shopping e o bairro Belvedere . Assim, constituiu-se um polo de investimentos em condomínios horizontais fechados, que podem ser observados ao longo das principais rodovias que cruzam o município, especialmente ao longo da MG 030, BR 040 e da BR 356.

 

 A cidade se extratificou geograficamente, sendo dividida em regiões culturalmente diferentes e de diversas raízes, o que a transformou num espaço multicultural com grande potencial turístico e o que hoje se faz necessário é a criação desta identidade única , dessas várias regiões em um destino só: Nova Lima. 
Atualmente, ainda sob as luzes da mineração, a cidade estuda sua diversificação econômica, tendo o Turismo um grande papel na arrecadação local, aproveitando a rica história, o extenso território verde preservado e a força da gastronomia.  

 

Copyrights © 2020. Todos os direitos reservados para o Órgão Municipal de Turismo